Palavra de Vida – Maio 2014

Maio de 2014


Power Point

“Em nome de Cristo, suplicamos-vos: reconciliai-vos com Deus” (2 Cor 5, 20).

É a exortação que São Paulo faz aos Coríntios, após o grande anúncio central de todo o Evangelho: Deus reconciliou Consigo o mundo, por meio de Cristo (cf. 2 Cor 5, 19).

Com a morte do seu Filho, na cruz, Deus deu-nos a prova suprema do Seu amor. Através da cruz de Cristo, Ele reconciliou-nos Consigo.

Esta verdade fundamental da nossa fé é da máxima atualidade. É aquela revelação que toda a humanidade aguarda: sim, Deus está próximo de todos com o Seu amor e ama intensamente cada pessoa. O nosso mundo tem necessidade do anúncio desta verdade. Mas nós só o podemos fazer se, antes, o anunciarmos repetidamente a nós próprios, a ponto de nos sentirmos envolvidos por esse amor, mesmo quando tudo nos levar a pensar o contrário.

“Em nome de Cristo, suplicamos-vos: reconciliai-vos com Deus”

Todavia, esta fé no amor de Deus não pode ficar fechada no íntimo de cada um de nós, como Paulo bem explica: Deus encarregou-nos de levarmos outras pessoas à reconciliação com Ele (cf. 2 Cor 5, 18). Confiou a cada cristão a grande responsabilidade de testemunhar o amor de Deus pelas Suas criaturas. Mas como?

Todo o nosso comportamento deveria dar credibilidade a esta verdade que anunciamos. Jesus disse claramente que, antes de apresentarmos a oferta sobre o altar, devemos reconciliar-nos com os irmãos ou irmãs que tenham qualquer coisa contra nós (cf. Mt 5, 23-24).

Em primeiro lugar no interior das nossas comunidades: famílias, grupos, associações, Igrejas. Ou seja, somos chamados a abater todas as barreiras que se opõem à concórdia entre as pessoas e entre os povos.(…)

“Em nome de Cristo, suplicamos-vos: reconciliai-vos com Deus”

«Em nome de Cristo», significa «no Seu lugar». Fazendo as vezes d’Ele, vivendo com Ele e como Ele, amemo-nos como Ele nos amou, sem restrições nem preconceitos. Devemos estar dispostos a descobrir e a apreciar os valores positivos do nosso próximo, prontos a dar a vida uns pelos outros. Este é o mandamento por excelência de Jesus, o distintivo dos cristãos, válido tanto hoje como no tempo dos primeiros discípulos de Cristo.

Viver esta Palavra significa tornarmo-nos reconciliadores.

E, assim, cada nosso gesto, cada nossa palavra, cada nossa atitude, se estiver impregnada de amor, será como a de Jesus. Seremos, como Ele, portadores de alegria e de esperança, de concórdia e de paz, ou seja, portadores daquele mundo reconciliado com Deus (cf. 2 Cor 5, 19) que toda a Criação aguarda.

Chiara Lubich

1) Publicada em Città Nuova 1996/24, p. 37, em versão integral.


%d bloggers like this: